Amazonas Filarmônica & Cristian Budu

  • 20:00
  • TEATRO AMAZONAS - Avenida Eduardo Ribeiro, Centro, Manaus - AM, 69025-140




Amazonas Filarmônica

Regência: Marcelo de Jesus

Solista: Cristian Budu, piano

amazonas-filarmonica-barbara-umbra-11

Setenta e cinco músicos de diversas nacionalidades formam atualmente a Amazonas Filarmônica, reconhecida como uma das principais e mais atuantes orquestras brasileiras. Com direção artística e regência titular de Luiz Fernando Malheiro, o repertório da Amazonas Filarmônica é extremamente amplo e variado, abrangendo todos os períodos da história da música e seus mais diversos compositores.

“O protagonismo da orquestra, sua capacidade narrativa, os naipes coesos e maleáveis, os timbres cuidados e o equilíbrio sonoro fazem da Amazonas Filarmônica, senão a melhor, seguramente uma das melhores orquestras de ópera do país”, afirma Nelson Rubens Kunze, Revista Concerto, edição de 29 de Maio de 2014.

Criada em setembro de 1997 pelo Governo do Estado do Amazonas, a orquestra é o principal corpo artístico da Secretaria de Estado de Cultura e do Teatro Amazonas. Há 10 anos, a Amazonas Filarmônica é protagonista da “Série Guaraná”, série de concertos semanais nos quais já se apresentou com incontáveis solistas e maestros convidados, vários deles de renome internacional.

Também como atuante principal durante o Festival Amazonas de Ópera, que se realiza anualmente entre abril e junho, a orquestra é consagrada pela execução mais abrangente do repertório operístico dentre todas as orquestras brasileiras. São mais de 60 montagens em 18 anos deste festival, no qual destacam-se a legendária première brasileira do ciclo integral do “Anel do Nibelungo” (R.Wagner), “Lady Macbeth de Mtzensk” (D.Shostakovich), “Lulu” (A.Berg), “Tristão e Isolda”, e “Parsifal” (ambas de R.Wagner); todas montagens premiadas e aclamadas pela crítica especializada internacional.

 

Foto: Barbara Umbra

Regência: Marcelo de Jesus

Graduado em piano, composição e regência pela UNESP, Marcelo de Jesus é um dos mais atuantes regentes brasileiros. Estudou regência com Juan Serrano, Lutero Rodrigues, Ronaldo Bologna e Karl Martin; composição com H.J. Kollreuter e Edmundo Villani-Côrtes; piano com Pietro Maranca, Homero Magalhães e na Itália com Carmella Pistillo (Academia Santa Cecília – Roma).

Após anos de atuação como pianista e maestro assistente de alguns dos mais renomados maestros do Brasil, assumiu a convite do maestro Luiz Fernando Malheiro o posto de diretor artístico adjunto do Festival Amazonas de Ópera. Desta parceria em mais de 15 anos, integram-se ao seu repertório inúmeras récitas de óperas e concertos e seus mais diversos compositores, com vários destaques para estreias de novas e antigas obras, como “Poranduba” (E.Villani-Côrtes) e “Yerma” (H.Villa-Lobos). São notórias suas realizações da integral das Sinfonias de L.V. Beethoven, bem como as integrais dos Choros e Bachianas de H. Villa-Lobos e a primeira execução brasileira da Sinfonia de L. Berio.

Enquanto diretor artístico e regente titular da Orquestra de Câmara do Amazonas, compromete-se à execução de um amplo repertório que abrange da música barroca às diversas formas de expressões contemporâneas.

Premiado como “maestro-relação” (Revista Bravo – 2002) e “Melhor Gravação de Música Brasileira – CD ‘Velhas e Novas Cirandas – música brasileira para fagote e orquestra’” (APCA – 2010), merecem destaque suas atuações nas temporadas 2005, 2006 e 2011 de Ópera da Colômbia,  e à frente da Amazonas Filarmônica, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Sergipe, Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Sinfônica de Rosário, Milano Classica e Orquestra Sinfônica Brasileira, como maestro convidado.

Atual Diretor dos Corpos Artísticos do Amazonas, tem divido sua atuação dentro e fora dos palcos com os diversos grupos da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas.

Em 2016 dirigiu a nova montagem da Medée de Luigi Cherubini no Festival Amazonas de Ópera e participou das temporadas da Orquestra Filarmônica de Goiás, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (RS) e Orquestra Sinfônica de Bahia Blanca (Argentina). Dentro do “Rock in Rio” regeu o concerto “Amazonia Live” com a participação de Placido Domingo e Ivete Sangalo.

.

 

ce8c7a_093e1660ee8b4f6e8d3fe4359d0de95f

Solista: Cristian Budu, piano

www.cristianbudu.com

Brasileiro de origem romena, o jovem pianista Cristian Budu é considerado um dos expoentes de sua geração. Dotado de uma musicalidade genuína e de uma calorosa força de comunicação, sua personalidade artística e seu colorido pianismo vêm sendo internacionalmente reconhecidos. Desde muito jovem, Cristian alcançou os primeiros lugares em diversos concursos nacionais, como o Concurso Nelson Freire e o Programa Prelúdio da TV Cultura.

Em 2013, aos 25 anos de idade, Cristian tornou-se o primeiro brasileiro a vencer o Grande Prêmio – mais 2 prêmios extras, incluindo o prêmio do público – do Concurso Internacional Clara Haskil, na Suíça, um dos mais importantes e prestigiados do cenário mundial, que elege apenas um ganhador por edição (e por vezes nenhum). Laureados anteriores incluem nomes como Richard Goode, Christoph Eschenbach, Mitsuko Uchida e Evgeni Korolyov.

Tal prêmio foi considerada pela crítica especializada como a mais importante conquista por parte de um pianista brasileiro nos últimos 22 anos, e lançou Cristian numa carreira internacional, sendo empresariado pela agência Artemtriz para concertos na America Latina e pela agência Caecilia, uma das mais tradicionais na Europa, que empresaria artistas como Daniel Barenboim, Nelson Freire, Joshua Bell e a própria OSESP.

Reconhecido também pela sua sensibilidade camerística, Cristian já teve a honra de dividir o palco com artistas como Christian Poltera, Jennifer Stumm, Rick Stotijn, Alexandra Soumm, Giovanni Gnocchi, Joseph Conyers e Semion Gavrikov, spalla dos segundos violinos da Orquestra Filarmônica de Israel. Cristian hoje também desenvolve um duo com a violinista suíça Esther Hoppe, vencedora do Concurso Internacional Mozart e que leciona no Mozarteum, em Salzburg.

Programa

Abertura da Ópera Genoveva – Robert Schumann (1810-1856)

Concerto para Piano e Orquestra em Lá Menor, Op. 54 – Robert Schumann (1810-1856)

Sinfonia Nº 4 em Ré Menor, Op. 120 – Robert Schumann (1810-1856)


Fotos: Barbara Umbra

Apresentações