Jane Duboc e Amazônia Jazz Band

  • 20:00
  • TEATRO UNIP - SGAS - Quadra 913, s/n - Conjunto B - Asa Sul, Brasília - DF, 70390-130




Jane Duboc e Amazônia Jazz Band

Regente Titular e Diretor Musical: Maestro Nelson Neves

Solista: Jane Duboc, voz

Jane-Duboc.web

Jane Duboc e Amazônia Jazz Band, foto Nathália Lobato

A Amazônia Jazz Band

A AJB foi formada em 1994 com elementos da extinta Big Band da Fundação Carlos Gomes até assumir caráter profissional ao ser encampada pela Secretaria de Estado de Cultura em 1996.

Seu primeiro bandleader foi o gaúcho Andi Pereira, substituído pelo americano Barry Ford em 1999. Em 2005, o percussionista paulista Ricardo Aquino passou a responder por sua direção. Desde 2012, o pianista, arranjador e regente Nelson Neves comanda a AJB.

A qualidade técnica conquistada ao longo do tempo aliada a versatilidade do repertório e a grande receptividade do público paraense marcam a trajetória da AJB. Seu repertório vem se renovando e diversificando constantemente. Cobre, atualmente, não só os clássicos norte-americanos escritos para essa formação, como as contribuições contemporâneas nacionais e internacionais.

Nos programas da AJB, compositores como Igor Stravinsky e Dmitri Schostakovich dividem espaço com os paraenses Wilson Fonseca e Waldemar Henrique. Alguns dos mais significativos compositores brasileiros da atualidade escreveram peças especialmente para o grupo.

 

Regência-Nelson-Neves---Foto-Paula-Prado

Nelson Neves, divulgação

 

Regente Titular: Nelson Neves

Nelson Neves possui o grau de Doutor em Artes Musicais pela Universidade de Nebraska-Lincoln em piano performance, fez mestrado em Música na Universidade Missouri-Columbia e é detentor do título de Bacharel em Teologia com ênfase em Música Sacra na Faculdade Batista Equatorial. Atuou na Europa, Estados Unidos, Brasil e América do Sul. Venceu inúmeros concursos de piano de prestígio como a “Série Valores Novos” no Rio de Janeiro, o Concurso Nacional de Piano da Universidade da Bahia e o Concurso Nacional “Jovens Interpretes da Música Brasileira”. Também conquistou vários primeiros lugares e prêmios importantes em numerosas competições nos EUA. Excursionou de 1997-1999 extensivamente com a Amazônia Jazz Band por todo o Brasil e América do Sul. Em 2012, foi o arranjador de todas as músicas para a Amazônia Jazz Band e Coro no programa natalino da Secretaria de Estado de Cultura (Secult-Pa) denominado “Natal com Arte em toda parte”. Desde então é Diretor Musical e Maestro da Amazônia Jazz Band.

 

 

 

Jane-Duboc-2.web

Jane Duboc, divulgação

Jane Duboc, divulgação

Jane Duboc, divulgação

Jane Duboc, voz

Jane Duboc é paraense de Belém e canta desde criança. Aos dezessete anos foi morar e estudar nos Estados Unidos (Columbus-Georgia) orquestração, canto lírico, flauta e arte dramática. De volta ao Brasil, na década de 70, gravou o compacto “Pollution”, produzido por Raul Seixas. Ainda nos anos 70 excursionou com Egberto Gismonti fazendo os vocais e tocando percussão. Gravou “Acalantos Brasileiros” e participou da série “Música Popular do Norte” cantando músicas folclóricas regionais. Desta série também participaram Elis Regina (Sudeste) e Nara Leão (Nordeste). Compôs e gravou com Guto Graça Melo a trilha sonora do filme “Amor Bandido” de Bruno Barreto.

Na década de 80, Jane Duboc percorreu todo o Brasil fazendo shows com grandes nomes do cenário brasileiro tais como Filó, Hélio Delmiro, Tunai, Aécio Flavio, Peri Ribeiro, Márcio Montarroyos, Toninho Horta, Miucha e Toquinho. O reconhecimento nacional chegou durante sua fase romântica em 1987 quando gravou as músicas “Chama da Paixão” e “Sonhos”. Estes sucessos abriram caminho para participações em novelas, dentre elas “Vale Tudo” com a música “Besame”, de Flávio Venturini e Murilo Antunes. Em seguida assinou contrato para fazer “Movie Melodies”, show cantado em inglês abordando temas de trilhas sonoras de filmes que marcaram época. O espetáculo teve tamanha receptividade que virou CD. Outro grande destaque foi o CD “Paraíso” com o falecido saxofonista Gerry Mulligan, grande nome do Jazz mundial. Jane fez muito sucesso em palcos japoneses: a música “Canção do Sal”, de Milton Nascimento, muito executada nas rádios, fez os japoneses cantarem em português.  Comemorando 30 anos de carreira, lançou “Sweet Lady Jane”, considerado um dos melhores trabalhos de sua trajetória artística. Também relançou seu primeiro LP solo: “Languidez” (de 1980), reunindo a nata da MPB: Djvan, Toninho Horta, Oswaldo Montenegro, Márcio Montarroyos, Hélio Delmiro, Luiz Avelar e Sivuca. Ainda em 2003, Jane Duboc realizou espetáculo em homenagem a Ary Barroso, que completaria 100 anos de vida. Em agosto de 2005 Jane Duboc lançou no Japão o CD “Glow” com seis músicas inéditas e de sua autoria, com grande destaque para “Spend The Night”. Já a coletânea “Uma Voz, Uma Paixão” foi indicado ao Grammy Latino 2006 de música. Em 2007 e 2008 Jane Duboc lançou pela Biscoito Fino: “Uma Porção de Marias” e “Canção da Espera”, este último uma homenagem ao amigo Egberto Gismonti. Em 2009 lançou um Tributo a Ella Fitzgerald pela gravadora Rob Digital que lhe rendeu,, em 2010, o prêmio de melhor disco brasileiro em língua estrangeira.

Programa

Lançamento do DVD “Pará Instrumental – Volume 12”

 

Whiplash – Hank Levy, Arr. Erik Morales

Wolfdenfunk – Eric Richards

Count Bubba – Gordon Goodwin

I Believe in grace – Nelson Neves

A Warm Breeze – Sammy Nestico

Cabeza de Carne – Matt Harris

Brooklyn High – Nelson Faria

For Once in My Life – Ronald Miller/Orlando Murden, Arr. Lennie Niehaus

Por Causa de Voce – Tom Jobim/Dolores Duran, Arr. Rob Mounsey / Inst. Josiel Saldanha

L.A. Is My Lady – Alan/Marilyn Bergman, Arr.Jens Wendelboe

Blues Afins – Tunai/Sérgio Natureza, Arr. Rob Mounsey / Inst. Josiel Saldanha

The More I See yo – Harry Warren, Arr. Quincy Jones

Tamba Tajá – Waldemar Henrique, Arr. Nelson Neves

Manoel, o audaz – Toninho Horta/Fernando Brant, Arr. Nelson Neves

Besame – Flavio Venturinni/Murilo Antunes, Inst. Nelson Neves

Foi Assim – Paulo André/Rui Barata, Arr. Josiel Saldanha


Fotos para divulgação

Apresentações