Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santóro

  • 20:00
  • CINE BRASILIA - EQS 106/107 - Asa Sul, Brasília - DF, 70345-400




Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santóro

Sucessos de Óperas

Regência: Marcelo de Jesus

img_1543_credito_alan_moreira

Fundada em março de 1979 pelo Maestro e compositor Cláudio Santoro, a Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Claudio Santoro é uma das principais instituições do gênero no Brasil. Em sua trajetória de 35 anos de existência a OSTNCS, realizou milhares de concertos, temporadas de ópera e ballet, acompanhou importantes artistas nacionais e internacionais, realizou gravações, turnês nacionais e internacionais.

Artistas populares foram convidados das temporadas da orquestra, Martinho da Villa, Zizi Possi, Tom Jobim, Wagner Tiso, Ivan Lins, Fagner, Fafa de Belem, Sandra de Sá, Bibi Ferreira, Francis Hime, Sergio Ricardo, Toninho Ferragutti, Ed Motta, Spok Frevo, Plebe Rude, Paulinho da Viola, Toquinho e Hamilton de Holanda.

A OSTNCS realizou o primeiro show/concerto do novo Estádio Nacional “Mané Garrincha” em homenagem ao cantor e compositor Renato Russo reunindo um público de 50 mil pessoas. Nesta ocasião cantaram com a Orquestra , Ivete Sangalo, Fernanda Takay , Lobão, Ziizi Possi, Jerry Adriani e outros nomes da música brasileira, além de um holograma do Renato Russo.
Participou do concerto em celebração dos 40 anos de relações diplomáticas entre o Brasil e China com a presença dos Chefes de Estados dos dois países. A OSTNCS realizou concertos em diversas cidades brasileiras e também na Itália, Portugal, Cuba, Coreia e no Brasil na Sala São Paulo, Festival de Campos do Jordão, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Teatro Amazonas, Palácio da Artes em Belo Horizonte entre outros. Gravou diversos discos com repertorio de música brasileira tendo um destaque especial para os títulos “Sinfonias dos 500 anos” e “Clássicos do Samba”.  É dirigida atualmente pelo Maestro Cláudio Cohen.

 

Foto: Barbara Umbra

Regente convidado: Marcelo de Jesus

Graduado em piano, composição e regência pela UNESP, Marcelo de Jesus é um dos mais atuantes regentes brasileiros. Estudou regência com Juan Serrano, Lutero Rodrigues, Ronaldo Bologna e Karl Martin; composição com H.J. Kollreuter e Edmundo Villani-Côrtes; piano com Pietro Maranca, Homero Magalhães e na Itália com Carmella Pistillo (Academia Santa Cecília – Roma).

Após anos de atuação como pianista e maestro assistente de alguns dos mais renomados maestros do Brasil, assumiu a convite do maestro Luiz Fernando Malheiro o posto de diretor artístico adjunto do Festival Amazonas de Ópera. Desta parceria em mais de 15 anos, integram-se ao seu repertório inúmeras récitas de óperas e concertos e seus mais diversos compositores, com vários destaques para estreias de novas e antigas obras, como “Poranduba” (E.Villani-Côrtes) e “Yerma” (H.Villa-Lobos). São notórias suas realizações da integral das Sinfonias de L.V. Beethoven, bem como as integrais dos Choros e Bachianas de H. Villa-Lobos e a primeira execução brasileira da Sinfonia de L. Berio.

Enquanto diretor artístico e regente titular da Orquestra de Câmara do Amazonas, compromete-se à execução de um amplo repertório que abrange da música barroca às diversas formas de expressões contemporâneas.

Premiado como “maestro-relação” (Revista Bravo – 2002) e “Melhor Gravação de Música Brasileira – CD ‘Velhas e Novas Cirandas – música brasileira para fagote e orquestra’” (APCA – 2010), merecem destaque suas atuações nas temporadas 2005, 2006 e 2011 de Ópera da Colômbia,  e à frente da Amazonas Filarmônica, Orquestra Experimental de Repertório, Orquestra Sinfônica de Sergipe, Orquestra Filarmônica do Espírito Santo, Sinfônica de Rosário, Milano Classica e Orquestra Sinfônica Brasileira, como maestro convidado.

Atual Diretor dos Corpos Artísticos do Amazonas, tem divido sua atuação dentro e fora dos palcos com os diversos grupos da Secretaria de Estado de Cultura do Amazonas.

Em 2016 dirigiu a nova montagem da Medée de Luigi Cherubini no Festival Amazonas de Ópera e participou das temporadas da Orquestra Filarmônica de Goiás, Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (RS) e Orquestra Sinfônica de Bahia Blanca (Argentina). Dentro do “Rock in Rio” regeu o concerto “Amazonia Live” com a participação de Placido Domingo e Ivete Sangalo.

.

 

Programa

SUCESSOS DE ÓPERAS

Abertura da Ópera “Don Giovanni”, K.527 (1787) – Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791)
Abertura da Ópera “Guillaume Tell” (1829) – Gioachino Rossini (1792-1868)
Abertura da Ópera “Norma” (1831) – Vincenzo Bellini (1801-1835)
Abertura da Ópera “Don Pasquale” (1843) – Gaetano Donizetti (1797-1848)
Abertura da Ópera “La forza del destino” (1862) – Giuseppe Verdi (1813-1901)

INTERVALO

Sinfonia da Ópera “Il Guarany” (1870) – Carlos Gomes (1836-1896)
Intermezzo da Ópera “Cavalleria Rusticana” (1890) – Pietro Mascagni (1863-1945)
Preludio da Ópera “Die Meistersinger von Nürnberg” – Richard Wagner (1813-1883)


Fotos: Alan Moreira e José Gonçalo

Apresentações